A Feira e a Construção do Primeiro Mercado

No início do povoado, as famílias ali residentes e na vizinhança se reuniam, sempre aos domingos, debaixo de uma quixabeira, com o objetivo de venderem, comprarem e, até mesmo, trocarem mercadorias e produtos agrícolas. Assim nascia a feira de Boa Saúde, que anos depois passou a ser realizada debaixo de uma espécie de galpão coberto com palha.
Mercado Antigo de Boa Saúde
Na primeira metade da década de 1930, foi construído o primeiro mercado. Sobre a sua inauguração, o jornal "A República", datado de 08 de outubro de 1935, traz reportagem na primeira página, com o título "Inauguração do prédio do Mercado Público de Boa Saúde", cujo conteúdo passamos a transcrever:

"A fim de inaugurar o prédio do mercado público de Boa Saúde, excursionou o Sr. Interventor Mário Câmara até aquela povoação, Domingo passado (06/10) em companhia do deputado Café Filho, drs. Lélio Câmara e José Marinho, sr. Laurindo Leão e Dr. Israel Nazareno. Verificou-se a partida pela manhã, chegando a Boa Saúde às 10 horas. Ao aproximar-se o carro do chefe do Governo, foram queimadas girândolas de foguetes, sendo S.Exa. muito aclamado. Hospedou-se a comitiva na casa do Sr. Heronides Câmara, prestigiosa influência política e acreditado comerciante e proprietário local. Ali se encontravam entre outros, os Srs. Anísio Vidal, secretário da prefeitura de São José, representando o prefeito Juvenal de Carvalho, Manoel Joaquim de Souza, Severino Dias, João Batista Nunes, Faustino Ferreira, Francisco Antônio, Juvenal Câmara, Severino Leite, Adauto Câmara, Lauro Bigois, Mário Paiva e João Batista Marques, elementos de representação social em Boa Saúde e São José. Senhoras Alice e Georgina Câmara, Senhorinhas Marcília e Nininha Petrovich, Lenira e Olga Bigois, Doninha de Carvalho, Lúcia Moreira Dias, Nair Câmara, Maria de Lourdes Reis , Rachel Matoso e outras. Após um lauto almoço, fidalgamente servido por senhores e senhoras da localidade e desta capital, dirigiram-se todos para o novo prédio que se ia inaugurar. O sr. Heronides Câmara saudou, então, o sr. Interventor federal, dizendo da satisfação de que se achavam possuídos os habitantes daquele lugar, por mais esse melhoramento experimentado graças a S. Exa., que já dotara a povoação de um prédio para a Escola Isolada e outro para a Sub-delegacia de Polícia. Terminou afirmando que todos ali estavam reconhecidos a S.Exa.e firmes para prestigiar o seu governo. Respondeu o dr. Mário Câmara, dizendo que o povo trabalhador, honrado e ordeiro de Boa Saúde bem merecia os benefícios que lhes tem prestado. Sentia-se bem em ver que ali se vinha realizando um dos pontos essenciais de sua administração, porque não apenas as sedes dos municípios precisam ser cuidadas, senão também as povoações. Se todos pagam impostos, todos têm direito de pedir, de exigir mesmo que lhes amenize as condições de vida, e esse apelo deve ser correspondido. Louvada a atuação do sr. Heronides Câmara, que muito tem feito por Boa Saúde. Que o povo continuasse a trabalhar pelo progresso da futurosa localidade. Terminando, foi S. Exa. Muito aplaudido pela multidão que enchia o prédio. Em seguida, fez o dr. Mário Câmara e comitiva uma visita aos demais prédios mandados construir pela Interventoria atual, recebendo o chefe do Estado constantes demonstrações de apreço e simpatia de pessoas do povo. Após alguma demora, fizemos à tarde, de volta os excursionistas, sendo, por ocasião da partida, entusiasticamente vivados pela massa popular o sr. Interventor Mário Câmara e o Deputado Café Filho." O ato inaugural do mercado público de Boa Saúde, além do Interventor Mário Leopoldo Pereira da Câmara, contou com a presença de várias lideranças políticas, dentre elas o Deputado João Café Filho, único norte-rio-grandense a ocupar a Presidência da República, em 1954, após a morte do Presidente Getúlio Vargas".

O primeiro mercado de Boa Saúde localizava-se na esquina da Rua Tenente Adauto Rodrigues da Cunha com a Rua de Baixo (atual Heronides Câmara). Foi demolido e hoje, no local, existe um parque infantil. Em 1979, foi construído um novo mercado situado, entre a Rua Dr. Mário Câmara e a Avenida Manoel Joaquim de Souza. Numa homenagem ao Senhor Otto Hackradt, um dos mais antigos comerciantes e proprietário de uma unidade de beneficiamento de algodão em Boa Saúde na década de 1930, foi denominado de Mercado Municipal Otto Hackradt.

A feira de Boa Saúde era realizada nas imediações do mercado antigo. Os produtos agrícolas e de origem animal comercializados provinham dos sítios e fazendas da redondeza, enquanto os produtos industrializados vinham das cidades de São José de Campestre e Santo Antônio. Vendia-se de tudo (do mangaio ao tecido) e era bastante concorrida. Passou por um período de decadência a partir de l964, quando o inverno deixou as estradas em péssimas condições de tráfego e os principais feirantes se ausentaram. Outros fatores que contribuíram para a redução da feira foram: o deslocamento da população do município para as feiras de outras localidades, o aumento do número de mercearias nos sítios e a redução da produção dos pequenos agricultores.

Com a construção do novo mercado, a feira de Boa Saúde foi transferida para as proximidades do mesmo, na Rua Dr. Mário Câmara. Sua revitalização ocorreu a partir de 1993, com o incentivo da administração municipal, através do transporte gratuito dos feirantes e suas mercadorias. Quanto à origem dos produtos comercializados, a quase totalidade vem de fora do município.
Residência e comércio de Heronides Câmara
A principal liderança que estava à frente das mudanças e da prosperidade que Boa Saúde alcançava, na primeira metade da década de 1930, era o Senhor José Heronides da Câmara e Silva, comerciante e proprietário rural.

Era membro de uma das famílias mais influentes do Estado, naquela época, a qual pertencia o Interventor Mário Leopoldo Pereira da Câmara. Nascido em 21/04/1888, era filho de Joaquim Maximiliano da Câmara e Silva e Joaquina da Câmara e Silva, que residiram em Boa Saúde, onde faleceu a Senhora Joaquina em 1933, cujo túmulo se encontra no cemitério local.

O Senhor Heronides Câmara, como era mais conhecido, residia em Boa Saúde em 1935, quando ocorreu, no Estado, a Intentona Comunista. Naquele ano, existia, no Brasil, um clima de conspiração por parte dos não aliados ao Presidente Getúlio Vargas e uma grande insatisfação nos quartéis, além da articulação do Partido Comunista para a ocorrência de levantes militares em nível nacional.

No Rio Grande do Norte, a situação da política local teve muito a ver com a ocorrência da Intentona Comunista, movimento que eclodiu com a rebelião do 21º. Batalhão de Caçadores de Natal.

Em relação à situação local, sucedendo o Interventor Mário Leopoldo Pereira da Câmara, assumiu o Interventor Rafael Fernandes, fazendo um governo essencialmente partidário e que, logo no início, extinguiu a guarda civil, entidade que havia sido criada por João Café Filho, na administração anterior. Cerca de 300 homens foram demitidos e alguns tomaram parte no levante comunista que, no período de 23 a 27 de novembro de l935, além de Natal, atingiu, também, diversos pontos do interior do Estado. Os principais participantes eram pessoas revoltadas, cabos, sargentos, funcionários públicos, operários, cuja maioria, na opinião de alguns autores, nada sabiam sobre comunismo. "Nem mesmo os dirigentes do movimento, os poucos declaradamente comunistas, tinham uma formação marxista. Eram revoltados simplesmente. O elemento de mais popularidade, o sargento Quintino, da banda de música do Regimento, não era letrado. Acreditava apenas que o comunismo solucionaria os problemas brasileiros. O grosso dos adesistas julgava tratar-se de um movimento para repor o interventor Mário Câmara" ( Silva, 1935, p. 280).

Seguiu-se a Intentona Comunista, uma violenta repressão e muitas injustiças, com o indiciamento e prisão de muitas pessoas inocentes, algumas ficando quase dois anos presas sem serem ouvidas em inquérito. Segundo João Maria Furtado: "a derrota foi reprimida a ferro e a fogo. Foi cometida aqui toda sorte de injustiças, atrocidades e até fuzilamento" (Furtaddo, 1976, p. 146).
O Senhor José Heronides da Câmara e Silva foi preso juntamente com o seu irmão Senhor Adauto Câmara, pelo que se sabe, não por terem aderido ao movimento, mas por perseguição política. O motivo alegado para as suas prisões foi o fato de terem oferecido acolhida para um grupo de pessoas que, tendo participado do movimento, e derrotadas em um combate ocorrido na localidade de Panelas (atualmente Bom Jesus), passaram por Boa Saúde e pediram ajuda.

O Senhor Heronides Câmara sofreu prisão domiciliar em Natal, enquanto Adauto Câmara foi preso na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro. Depois deste acontecimento, Heronides Câmara passou a residir em Natal, onde faleceu em 29 de setembro de 1939.

Manoel Joaquim de Souza
Outra pessoa de grande prestígio em Boa Saúde, na década de 1930, era o Senhor Manoel Joaquim de Souza, conhecido como Neco de Sinhá. Nascido na localidade de Serrinha dos Brandão, no Município de Currais Novos, ainda jovem veio para o Município de Santo Antônio onde casou-se com Antônia Augusta de Souza e fixou residência na Fazenda Bom Pasto, sendo proprietário, também, em Boa Saúde, onde possuía imóveis e se fazia presente com frequência.

A descendência do Senhor Manoel Joaquim de Souza (Neco de Sinhá), conhecida como a Família Souza, exerceu, e ainda hoje exerce, uma grande influência na vida político-administrativa dos municípios de Boa Saúde e de Serrinha.

Em Boa Saúde, os seus filhos: Antônio Augusto de Souza liderou o movimento que resultou na criação do município e exerceu o cargo de vereador; Manoel Teixeira de Souza (Nezinho) foi vereador em São José do Mipibu e prefeito em Boa Saúde durante dois mandatos. Os seus netos: Paulo de Souza foi vereador, exerce o cargo de prefeito, sendo reeleito em 01/10/2000 para um quarto mandato; José Aldí de Souza, Manoel Joaquim de Souza Neto e Emanoel de Souza exerceram o cargo de vereador, e Aurí Lúcio de Souza exerce a função pela segunda vez. Já os seus bisnetos: Francisco Artur de Souza, atual Presidente da Câmara Municipal, exerce o cargo de vereador pela segunda vez e foi eleito vice-prefeito; Josué de Souza foi eleito vereador, também nas últimas eleições.
Residência de Nezinho de Souza
No Município de Serrinha: José Teixeira de Souza, filho de Neco de Sinhá, exerceu o cargo de prefeito por duas vezes. Seus netos: José Teixeira de Souza Júnior, é o atual prefeito e foi reeleito para o próximo mandato; Gilson de Souza foi vice-prefeito e Manoel de Souza foi vereador durante três legislaturas. Enquanto seus bisnetos: Genilson de Souza foi vereador, prefeito e, nas eleições de 01/10/2000, foi eleito vice-prefeito; Reginaldo José Bezerra de Souza foi reeleito vereador pela terceira vez.

Páginas 44 a 50

O texto foi extraído do livro Boa Saúde: Origem e história escrito por José Alai e Maria de Deus. Algumas imagens são dos blogs que José Alai mantinha. O objetivo dessa postagem é tão somente conservar nossa história.

Postar um comentário

 
Top