Visagens ou Assombrações em Boa Saúde

Nos tempos passados, facilmente, acreditava-se em visagens ou assombrações, que apareciam ou vagavam em determinados lugares, quase sempre à meia noite. Em Boa Saúde,não era diferente. Além das estórias de aparições de almas nas segundas-feiras, contavam-se outras de assombrações, tais como:

O Papa Figo
- Lobisomem – Contava-se que um homem se transformava em lobo, vagava nas noites de lua cheia e perseguia as pessoas que ousassem enfrentá-lo.

- Burra-do-padre ou mula sem cabeça – animal que, quando se deslocava de um lugar para outro, fazia barulho causado pelas correntes que a aprisionavam..

- Choro-do-pagão – Existia uma crença de que criança que morria sem ser batizada era enterrada numa encruzilhada. Ouvir o seu choro à noite era como receber um pedido para ser batizada.

- Caipora – Pensava-se ser uma entidade que vivia nas matas e nos campos, espantando os animais e dando nó na cauda dos cavalos. Fumava cachimbo, e por isto, os caçadores deveriam conduzir fumo de rolo para oferecer-lhe e não serem incomodados.

A morte
- Papafigo – Acreditava-se ser um velho que andava durante o dia percorrendo caminhos e estradas, à procura de crianças para tirar-lhes o fígado. Por isso era muito temido por elas.

- Bicho-papão: Expressões como: “o bicho-papão vem te pegar” ou “ lá vem o bicho-papão” eram dirigidas às crianças para evitar traquinagens e obter bom comportamento. Apesar de assustar tanto, não se tinha ideia de como seria a figura do bicho.

Página 88

O texto foi extraído do livro Boa Saúde: Origem e história escrito por José Alai e Maria de Deus. Algumas imagens são dos blogs que José Alai mantinha. O objetivo dessa postagem é tão somente conservar nossa história.

Postar um comentário

 
Top