Por menor que seja, em toda comunidade existem manifestações carnavalescas. Nas escolas ou nas ruas alguém se pinta, se veste e se diverte.
Papangus em 2010
Foto: Adriana Bernardo
Em Córrego de São Mateus não é diferente. Desde muito tempo o povo se expressa no mês da folia.

Segundo os mais velhos, "no mês de fevereiro, algumas pessoas faziam máscaras e costuravam roupas, colocando muitos enfeites nelas. Esses eram os papangus que saiam nas ruas fazendo graça e correndo atrás das crianças. Se a casa tivesse fechada eles batiam palmas e quando a pessoa aparecia tomava um susto. No fim da brincadeira eles se reuniam e pediam para que o povo descobrisse quem era cada um".
Papangus em 2010
Foto: Adriana Bernardo
"A bandinha de lata era outra atração. Os meninos fazia instrumentos de latas, se pintavam e saiam pelas ruas fazendo a folia. Conta Apolônia.
Pandeiro de lata de doce
Todos os anos também vem ao Córrego as tradicionais "tribos de índios". Geralmente são de Lagoa Salgada e Bom Jesus. Passeiam pelas ruas tocando instrumentos indígenas e fazem homenagens em algumas casas a fim de arrecadarem dinheiro.
Tribo de índios de São José de Mipibu

Ainda hoje saem algumas pessoas vestidas de papangus, homens vestidos de mulher, meninos batendo em latas pelas ruas. A ordem é: Ninguém fica parado... todo mundo na folia. 
Papangus em 2010
Foto: Adriana Bernardo
E ainda vale destacar o Bloco das Quengas, o Bicho da Sede e o Gaviões da Folia... mas isso é assunto pra outra matéria.

Postar um comentário

 
Top