A Construção da Primeira Escola

As primeiras professoras nomeadas de Boa Saúde de que se tem notícias, datam de 11/07/1886. Através da Lei nº 98l, da Prefeitura Municipal de São José de Mipibu, o povoado foi contemplado com duas professoras, sendo “uma para o sexo feminino e outra mista” (Barbalho, 1961, p. 141). Naquela época, era comum as escolas funcionarem nas próprias residências dos fazendeiros ou lideranças políticas. 

Prédio antigo do Grupo Escolar Dr. Mário Câmara
A construção da primeira escola, da qual se tem conhecimento, somente veio a acontecer na primeira metade da década de 1930, tendo sido construída no local onde era a residência do senhor Badamero e, atualmente, existe a agência dos Correios. Sua inauguração ocorreu no dia 02 de fevereiro de 1935,conforme noticiou o jornal “A República”, datado do dia 10, do mesmo mês e ano, tendo como titulo “Inauguração do prédio da Escola Isolada de Boa Saúde”, cujo conteúdo passamos a transcrever na íntegra:

“No dia 02 do corrente mês, comemorando a festa de sua padroeira – Nossa Senhora da Boa Saúde – na pitoresca povoação desse nome, no município de São José de Mipibu, teve lugar, às 11 horas, a inauguração do seu prédio escolar, alli mandado construir pelo Governo do Estado. O acto de inauguração revestiu-se de aspecto festivo, a elle comparecendo, além do Dr. Amphiloquio Câmara, Diretor Geral do departamento de Educação, que alli também fora como representante do Exmo. Sr. Interventor Federal. Dr. Mário Câmara, o prefeito do município, Sr. Juvenal Carvalho, o vigário de São José. padre Paulo Heroncio de Melo, a inspetora de ensino professora Lindalva Alves Taveira, professora Antonia Guerra Jales, o Sr. José Humberto de Souto, Sr. Anibal Barbalho, o Sr. Heronides da Câmara Silva, que por parte do Departamento de Educação foi o encarregado da construção, e uma avultada assistência constituída de familiares e cavalheiros, dentre os quais recordamos dos Srs. Teodosio Ribeiro de Paiva, Francisco Gurgel, João Dantas, Joaquim Pinheiro Netto, João Batista Marques, Lauro Macedo, Francisco Leite, José de Souza, Pacífico Bernardo Bezerra, Manoel Cypriano Filho, João Alves Peixoto, Geraldo Cabral, João Teixeira de Vasconselos, Faustino Ferreira de França, Severino Guerra, Francisco Antônio de Jesus, Oscar de Freitas Marques, Belísio Cypriano do Nascimento, Antônio Francisco da Silva, Joaquim José Cabral, Júlio Gomes, Pedro Marcelino Filho e Francisco Resende. A solenidade começou pela benção dada ao prédio pelo Padre Paulo Heroncio, a qual seguiu-se o hasteamento da bandeira nacional, queimando-se nesta ocasião uma salva de 21 tiros. Repleta a sala da sessão, falou o Diretor do Departamento de educação, dr. Amphilóquio Câmara, que depois de ter apresentado ao público as escusas de comparecimento do Sr. Interventor Federal, discorreu sobre o desenvolvimento que a instrução pública está tendo no Estado, do litoral ao sertão, sob a orientação patriótica de sua excellência, e perorou congratulando-se com os habitantes de Boa Saúde pelo excelente prédio que recebia da administração estadual para a educação de seus filhos, o qual, em parte se devia a operosidade do sr. José Heronides Câmara que desinteressadamente aceitara do Departamento de Educação a incubência de dirigir a construção.
Em nome da população local, agradeceu o Sr. Heronides Câmara a dadiva da Interventoria Federal, espaltando, em palavras judiciosas, a obra elevadíssima de renovação moral, política e econômica que o dr. Mário Câmara está praticando no Estado.
- Durante toda a festividade tocou a harmoniosa banda de música de São José de Mipibu.
- Ao sr. Interventor Federal, que não poude, entretanto, comparecer em pessoa, por múltiplos affazeres nesta capital, estava preparada imponente recepção popular, como demonstração maior do reconhecimento do povo de Boa Saúde pelo benefício com que vinha de ser dotado.
- O sr. Heronides Câmara e distinta família foram enexcedíveis em cumular de gentilesas quando alli estiveram, oferecendo-lhe lauto almoço”.

Numa homenagem ao Interventor Mário Leopoldo Pereira da Câmara, que governou o Rio Grande do Norte no período de 02/08/1933 a 27/10/1935, a Escola Isolada de Boa Saúde passou a se chamar de Grupo Escolar Dr. Mário Câmara. Durante várias décadas o referido prédio, além de cumprir a sua função específica, serviu para a realização de reuniões e festas da comunidade, inclusive dos bailes das festas da padroeira. Foi demolido e no local construído o prédio onde, atualmente, funciona a agência dos Correios. O atual Grupo Escolar Dr. Mário Câmara fica localizado na Avenida Manoel Joaquim de Souza. Sua construção ocorreu quando era Governador do Estado o Monsenhor Walfredo Dantas Gurgel e a sua inauguração foi no ano de 1968.

Segundo pesquisa realizada junto aos moradores mais antigos, em 1933 o povoado de Boa Saúde tinha como Professora Maria Emília Pessoa. Depois da construção da escola, em 1935, a primeira professora foi Iolanda Medeiros, seguida de Maria da Conceição Costa e de Adelaide Maciel, todas formadas pela Escola Normal de Natal.

Maria Almeida
Uma das primeiras professoras de Boa Saúde
Outras professoras que lecionaram no Grupo Escolar Dr. Mário Câmara e cujos nomes foram lembrados são as seguintes: Nair, Aliete de Medeiros Paiva, Maria Celsa de Medeiros Paiva, Maria Almeida Galvão, Luíza Almeida Galvão, Maria Medeiros, Anita Barbalho, Albertina Barbalho, Carmelita Elias de Souza, Casciana Duarte, Terezinha Pinheiro de Lima, Aline Silva, Maria do Céu de Souza, Josefa Leó dos Santos, Nidarte Medeiros, Célia Barbosa e Francisca Ferreira Freire. Exerceram a função de diretora do referido estabelecimento de ensino, as seguintes professoras: Maria Helena de Azevedo e Silva e Maria Almeida Galvão.


_____________________________________

Páginas 41 a 44

O texto foi extraído do livro Boa Saúde: Origem e história escrito por José Alai e Maria de Deus. Algumas imagens são dos blogs que José Alai mantinha. O objetivo dessa postagem é tão somente conservar nossa história.

Postar um comentário

 
Top